Livros e conferências, oferecem-se

Há momentos em que as peças do jogo se ligam. Quando ainda não havia internet, muitos dos livros que eu comprei para estes meus trabalhos eram encontrados por uma simpática inglesa, chamada Caroline Hartley, que sempre imaginei uma pacata avózinha, que residia no interior de Inglaterra e cujos rendimentos eram conseguidos à conta deste engenhoso sistema: eu e outros como eu, enviávamos-lhe um fax com a lista dos livros que procurávamos, ela descobria-os, e quando os comprava receberia alguma comissão do vendedor. Muitas das preciosidades que hoje ornam a minha biblioteca foram assim achadas. Assim sucedeu com as memórias do Walter Schellenberg. Encontrei hoje dentro desse livro a tarjeta que ela distribuía com os seus contactos, o telefone e o fax. O símbolo era lindíssimo, um gato, felinamente curioso em cima de uma pilha de livros. Há muito tempo que não sabia dela, hoje é tudo através do ciber-espaço. Agora reencontrei-a e descobri que devemos ter uma idade aproximada. Também ela se converteu à internet, o gato, afinal, existe e é um miau real, a miar aqui.
Foi também através do ciber-espaço que ontem o encontrei: chama-se Mark Baldwin, é doutorado, vende livros sobre os serviços secretos na segunda guerra mundial e, além disso, oferece-se para fazer conferências sobre criptografia na segunda guerra. O seu site recebe o nome da máquina de codificação alemã, antecessora da Geheimschreiber: www.Enigmatix-uk.com.