Os diários de Guy Liddell «on line»

Já me tinha referido aqui à publicação em livro dos «Diários» de Guy Liddell que entre 1939 e 1945 desempenhou funções de Director do MI5. Vejo agora que eles estão on line, em PDF, aqui, publicados por David Irving, que neles trabalhou quando elaborou uma biografia de Winston Churchill. Um contributo muito interessante e sintomática a fonte. Irving é conhecido pelas suas teses «revisionistas», entre as quais a denegação do «Holocausto».

2ª GG: a fita do tempo


Há várias fitas do tempo sobre a Segunda Guerra Mundial. No «Portal da História» está mais uma, em português. Mas há mais. Muitas mais. É a guerra no dia-a-dia.

A retoma do «Lusitânia»

Como já se viu este «blog» articula-se com um outro a que chamei «Lusitânia». Não tem a ver com o navio do mesmo nome, cujo afundamento em 7 de Maio de 1915 é lendário. A ideia inicial era arquivar aí tudo o que pudesse surgir com interesse sobre o tema das informações, da espionagem, das operações especiais. Tudo o que ali se arquiva vai, tal e qual, na língua em que surgem, em citação directa. Claro que o tempo fez-me interomper o registo. Decidi-me este fim-de-semana a retomar o trabalho, talvez por ter estado a chover.

A agente «Treasure» finalmente em acção

Finalmente! Entrou na tipografia o original da biografia do livro. Chamar-se-à «Nathalie Sergueiew, Uma agente dupla em Lisboa». O livro narra uma aventura, a sua jovem editora, «O Mundo em Gavetas», é outra. Se tudo correr bem, o lançamento será em meados de Maio. A nossa biografada foi a agente «Treasure» do XX Committee. Esteve em Lisboa em 1944. Em 1933 fizera Paris/Varsória a pé, em 1938, Paris/Líbano de bicicleta. A redacção do livro foi um percurso mais ou menos parecido, em esforço e em duração. Mas, enfim, chegámos.

«Glasnot» à americana


Já aqui o tínhamos referido. Documentos que até aqui estavam acessíveis ao público nos Arquivos Nacionais em Washington estão a ser retirados da leitura, no quadro de um memorando secreto cuja implementação data já do tempo da Administração Clinton. 55 000 páginas já foram reclassficadas, muitas referentes ao tempo da Segunda Guerra. O site do «National Security Archive» dá pormenores e publica um fac-simile do memorando, que o próprio site dos NARA também havia editado.OS investigadores que se apressem: a política americana do «glasnot» já conheceu melhores dias.