Polacos na guerra secreta em Portugal

Vindos da Rússia, pela mão de José Milhazes [aqui e aqui] chegam documentos que os serviços secretos soviéticos obtiveram junto do Ministério dos Negócios Estrangeiros polacos, remetidos pela Embaixada polaca em Lisboa. São relatórios do Embaixador da Polónia, Karl Dubic-Penter, com notas de conversa com o Presidente do Conselho de Ministros de Portugal, Oliveira Salazar. O encontro ocorreu em 13 de Março de 1937, quando da apresentação das cartas credenciais. A conversa teve como tópico a posição portuguesa face aos temas candentes da política externa. Encontrando um interlocutor profundamente informado, o Embaixador expõe uma proposta de colaboração dos polacos no combate ao comunismo, dado que para Salazar esse era o problema fundamental.  A colaboração viria a tornar-se efectiva durante a 2ª Guerra, como se encontra a ser detalhadamente estudado na Polónia [ver aqui]. Parte, enfim, dos inestimáveis serviços de uma Nação católica, que seria martirizada pela URSS e pelo III Reich. Citando do documento:
«Visto que eu tinha sido encarregado pelo Chefe do Estado-Maior e pelo chefe do 2º Departamento de estabelecer cooperação com o Governo português na base de informações sobre a III Internacional,  que prevê também a prestação de ajuda da nossa parte na organização da espionagem e acções de segurança, eu propus a SALAZAR ajuda nesse sentido. SALAZAR recebeu muito bem a minha proposta e disse-me que iria amplamente utilizar essa possibilidade»